Nas motos e nos UTVs competidores da Bianchini Rally provam que o Rally dos Sertões é para os fortes

Siga-nos ... Website ... Entre em contato ...Sexta-feira, 24 de Agosto de 2018

Nas motos e nos UTVs competidores da Bianchini Rally provam que o Rally dos Sertões é para os fortes

A Especial que chegou ao Piauí foi considera uma das mais duras desta edição mas Bianchini/Pereira (UTVs) e nas motos Folly, Barreira, Nutti, Malassise e Ferro completam mais um dia difícil com areião e trial

Alta  | Web 
Ferro na Especial entre Barras e S.Raimundo Nonato (Vinícius Branca/Fotop)

Ferro na Especial entre Barras e S.Raimundo Nonato 
(Vinícius Branca/Fotop)

Alta  | Web 
Folly está em 4a na Production Aberta e 7o na geral no acumulado (Vinícius Branca/Fotop)

Folly está em 4a na Production Aberta e 7o na geral no acumulado 
(Vinícius Branca/Fotop)

Alta  | Web 
Após cinco etapas, Malassise está em 5o. na Marathon (Marcelo Machado/Fotop)

Após cinco etapas, Malassise está em 5o. na Marathon 
(Marcelo Machado/Fotop)

Alta  | Web 
Barreira retornou a prova após 1h30 parado e não forfoteu (Divulgação)

Barreira retornou a prova após 1h30 parado e não forfoteu 
(Divulgação)

Alta  | Web 
Ferro na Especial entre Barras e S.Raimundo Nonato (Gustavo Epifânio/Fotop)

Ferro na Especial entre Barras e S.Raimundo Nonato 
(Gustavo Epifânio/Fotop)

Após dois dias sem apoio mecânico, Fabrício Bianchini/Adhemar Pereira “Índio” #230 fecharam a 5ª etapa do Rally dos Sertões, entre Barra (BA) e São Raimundo Nonato (PI), sem prejuízos e completou a Especial de 401 quilômetros em 6hh18m27s. Após cinco etapas, a dupla da Bianchini Rally está em 13º no acumulado da UTV Pró Turbo. Segundo o navegador cearense a experiência nos UTVs está 100% de aprovada. “Estou amando o UTV, é maravilhoso, seguro, na cansa e posso dizer agora só competir nesta categoria e vou deixar a moto para lazer e diversão com os amigos”, afirma Índio, como Pereira é conhecido no meio. “Soubemos controlar bem a temperatura do veículo no areião para não aquecer e andamos no máximo 100kk/h e depois o Fabrício fez uma pilotagem fantástica no trial e terminamos bem”, explica.

Nas motos há três paranaenses na equipe. Elias Folly #33 (KTM 450 EXC) driblou um problema com a moto, na etapa que achou a mais dura do rali até então. “A moto parou de funcionar e não ligava, o que me fez perder bastante tempo. Essa 5ª etapa foi muito dura, com areia pesada. Mas consegui terminar”, diz Folly chegou em 6º na Production Aberta (5h50min26) e no acumulado está em 7º na geral e 4º na categoria. Neto Malassise #59 (KTM 450 EXC-F) chegou em 8º Marathon e 19º geral (6h03min25), no acumulado está entre os Top 5 da categoria. “As duas últimas etapas foram muito pesadas, na minha história de off-road nunca vi dias assim. No trecho de trial tive uma queda, mas nada de grave. Mas isto é rali uma aventura atrás da outra.” Já Josemar Ferro #44 (Kawasaki KLX 450), que vinha evoluindo a cada etapa, não teve a mesma sorte dos conterrâneos. Durante a Especial sofreu uma queda e, infelizmente, não terá condições de continuar nesta reta final do rali.

O paulista Luiz Fernando Nutti #37 (KTM 450 EXC) terminou a prova em 4º Over 45 (6h36min13) e no acumulado está em 3º na categoria. Dimas Barreira #52 (KTM 450 EXC), estreante na prova, superou as adversidades do dia e completou a 5ª etapa. “Estava em um ritmo forte quando a moto parou e não conseguia fazer funcionar até cheguei a chamar nosso apoio. Mas depois de 1h30 parado, resolvi tentar de novo e, milagrosamente, funcionou”, conta. “Vim devagar, levei um tombo depois mas consegui chegar e isso é o que conta para mim”, completa Barreira chegou em 15º Marathon (6h39min19).

Agora, o time segue para a reta final do Rally, que termina no sábado, 25, na Praia de Iracema, em Fortaleza.

A equipe – A Bianchini Rally nasceu em 2005, quando Fabrício Bianchini decidiu montar a sua própria equipe em Barueri/SP. Dois anos depois, com patrocínio do Grupo Infinity Bio Energy, juntamente com o piloto Marcos Finato, desenvolveram as primeiras motos de rali movidas a álcool no Brasil. Pioneira com o projeto tornou-se a primeira equipe Carbon Free do grid. Entre 2007 e 2010 se chamou Infinity Rally Team e, a partir de 2012, passou a adotar o nome Bianchini Rally. Em 2007 e 2008 foi premiada como Melhor Equipe do Rally dos Sertões. Pela tradição e profissionalismo conquistados, o time trabalha com pilotos campeões do segmento Duas Rodas no Rally dos Sertões, Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country e Rally Baja. Entre as temporadas de 2013 e 2016, a equipe disputou com duas duplas a Mitsubishi Cup. Em 2016, Bianchini estreou no Rally dos Sertões como piloto nos carros, ao lado de Caio Santos, e terminou em sexto na geral. Além de competir nas motos (3º na geral no Brasileiro de Baja) em 2017, Bianchini encarou um novo desafio e estreou no Rally de Velocidade com um Peugeot 207 e garantiu pódio nas três provas que participou: Rally de Holambra, Rally de Erechim e Rally da Graciosa. Em abril de 2018, a dupla Bianchini/Damon Alencar foi Campeã do Rally RN1500 na Protótipos T1, com o T-REX. 

Mais informações no site www.bianchinirally.com.br, no Facebook: @equipebianchinirally e Instagram:@bianchinirally

A Bianchini Rally conta com os apoios da SHIRO, Borilli, Óculos 100%, O Mundo de Maria, Bull Sertões Rally Team, Vedacit e Rede Petrolam.

Roteiro 26ª edição Rally dos Sertões (19 a 25/8)

Sexta (24/08)
6ª Etapa: São Raimundo Nonato (PI) – Juazeiro do Norte (CE)

Total do dia: 603 km (226 km trecho cronometrado)

Sábado (25/08)
7ª Etapa: Juazeiro do Norte (CE) – Fortaleza (CE)

Total do dia: 654 km (200 km trecho cronometrado)

Total geral: 3.607 km

Categoria:Rally Off-Road

Deixe seu Comentário